Escuta clandestina da PM monitorava políticos, advogados, médicos em MT

0
Entre as pessoas grampeadas estava uma mulher que teve relacionamento amoroso com primo do governador. Caso está sendo investigado pela PGR.
escutas-clandestinasUm esquema de escutas telefônicas clandestino foi montado pela Polícia Militar do estado de Mato Grosso. Monitorava políticos, advogados, médicos e um jornalista como se fossem bandidos.
O relatório da inteligência da Polícia Militar obtido pelo Fantástico mostra que a investigação era sobre um esquema de tráfico de drogas. Nele, a PM pedia à Justiça a quebra do sigilo telefônico de criminosos. Só que no meio desta lista estavam pessoas que não tinham nenhuma relação com o crime.
Entre os grampeados também estava uma mulher que teve um relacionamento amoroso com Paulo Taques. Ele é primo do governador, Pedro Taques, do PSDB, e era secretário-chefe da Casa Civil do estado. Paulo pediu demissão na última quinta-feira (11), minutos depois de ficar sabendo que o Fantástico estava apurando o caso. Segundo o promotor e ex-secretário de Segurança Mauro Zaque, o governador sabia do esquema de espionagem desde 2015. Pedro Taques nega.
O caso está sendo investigado pela Procuradoria Geral da República, em Brasília. Os procuradores querem saber se o governador tinha conhecimento desses grampos telefônicos clandestinos.

 

Fonte: G1

DEIXE SEU COMENTÁRIO