Evento do IAMAT com a BPW debate a proteção da mulher no Direito do Trabalho

0
NESTA QUINTA

Na ocasião haverá uma palestra, que será ministrada pela Dra. Karlla Patricia Souza, que é doutora em Direito das Relações Sociais pela PUC-SP

mulher-digitando-notebook-itunes-segurando-celular-iphone
Da Redação
O Instituto dos Advogados Mato-grossense (IAMAT) realiza nesta quinta-feira (4), em parceria com a BPW Internacional – Business Professional Women, o evento “Proteção da Mulher no Direito do Trabalho”. O evento que promoverá o combate à desigualdade, acontecerá às 18h, no Palácio da Instrução, em Cuiabá.
O evento trará uma palestra ministrada pela Dra. Karlla Patricia Souza, que é doutora em Direito das Relações Sociais pela PUC-SP.
O objetivo é conscientizar e fortalecer o combate da desigualdade existente de remuneração, impedir a diminuição do salário de mulheres que trabalham mais que os homens nas mesmas profissões e exigir que mulheres qualificadas tenham oportunidade de assumir postos de comandos e de ganhar nas mesmas condições que os homens, assim como impedir que elas sejam submetidas aos estereótipos de gênero que ainda predominam em nossa força de trabalho e que é muitas vezes agrupada em trabalho feminino e masculino.
BPW Internacional
A Business Professional Women é uma organização internacional, foi fundada na Suíça em 1930 e está presente em mais de 100 países.
A BPW, realiza inúmeros projetos que fomentam o empreendedorismo, a capacitação de lideranças e implementa projetos de responsabilidade social para melhorar a qualidade de vida de mulheres e meninas em todo o mundo.
Em Cuiabá, a BPW foi fundada há 15 anos e também executa o Projeto “Trabalho igual. Salário igual”. Ele foi formatado para ser executado em todo o Brasil pelas BPW`s locais no dia 01 de maio, aumentando suas ações e parcerias, para chamar a atenção do governo, da sociedade e dos empregadores, para colocar fim à pratica da forma cruel de discriminação contra as mulheres, e sobretudo chamar a atenção sobre o período de horas e dias que as mulheres ainda precisam trabalhar a mais para terem seus salários iguais aos dos homens.
O Projeto se justifica pela necessidade de se conseguir igualdade de remuneração para as mulheres que fazem o mesmo tipo de trabalho que os homens e com a mesma carga horária.
No Brasil e na grande maioria dos países a prática de descriminação contra as mulheres ainda impera, apesar de ser ilegal, e isso é uma forma que precisa ser combatida e eliminada. (Com informações da Assessoria)

protecao-da-mulher-no-direito-do-trabalho-alr-e-iamat

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO